Restaurante Temperança

logo Temperança

 

 

CARDÁPIO NAVE

CARDÁPIO: Personalizado e Caseiro,

 (agricultura familiar orgânica).

Você monta o seu prato, todos SAUDÁVEIS!

Além de decorados, coloridos e perfumados…

logo horto e horta

TODOS OS NOSSOS RESÍDUOS gerados na elaboração

dos pratos servidos em  nosso Restaurante “ TEMPERANÇA”,

SÃO, SEGREGADOS E REAPROVEITADOS

NO ATO DA GERAÇÃO PELA OFICINA PLANETA ECO, e, além disso,

Você está apoiando  diretamente os ciclos produtivos para geração de renda do  projeto

 “Comunidade  Sustentável”,

obrigada por fazer parte desta NAVE…Saudações Ecológicas!

 Samantha Lêdo – Chefe NAVE

(PORÇÕES INDIVIDUAIS)

BOM APETITE!

Empadinha de chocolate NAVE: Cheff : Samantha Lêdo

DSCF5366

Crianças até  07 anos não pagam, preparamos pratos

especialmente elaborados e decorados para elas!

joão Pedro fazendo pão

Acima:João Pedro Lêdo

Tradicional brasileira (cortesia na salada)

Arroz  R$ 5,00 – Feijão  R$ 3,00:                                  

Aipim Frito   R$ 5,00  – Aipim Cozido   3,00   – Ovo Frito  R$ 3,00

 Bife  de frango  R$  8,00 – Batata com molho de ervas R$ 8,00

Purê de batata  R$ 5,00  – purê de abóbora  R$ 6,00

Purê de inhame  R$ 6,00 – ervilhas integrais  cozidas R$ 5,00

Carne de porco caipira assado R$ 8,00 – Tutú  R$ 4,00

 Caldos

 (ervilha     –  Caldo verde – Caldo de  Peixe – Caldo de Feijão)

Natural

Tabule – Batatas ao Molho de Alecrim.                R$ 5,00

 Arroz integral  – sopa de legumes                         R$  8,00

 Sopa de vegetais –                                                   R$ 10,00

 Escondidinho sem farinha,( frango com milho)       R$ 15,00

Pães e massas caseiras feitas com ervas: Temperança – NAVE

20140603_185324

Massas Caseiras feitas na hora

Massa

 caseira comum

Massa caseira integral:

 

Massa talharim                                                      R$   10,00

Lasanha                                                                   R$   15,00

 ( ao sugo ou branco  branco) –

CREPES:                                                   R$  10,00

3 RECHEIOS :

Mussarela de búfala – Mussarela

Espinafre – Rúcula – Tomates cerejas –

Camarão – Peito de perú –

Queijo branco – Alho – Banana – Mel

Doce de morango – Mussarela – Presunto .

VEGANA

Ceviche              R$ 15,00

Trouxinha de alface com direito

a 3 recheios:        R$5,00

Recheios               

 Salada com Brotos e trigo hidratado,

linhaça, tomates cerejas –soja desidratada –

 brotos de couve – brotos de feijão

Ceviche  – Saladas de vegetais, tomate e manjericão.

GOURMET   pratos individuais            R$ 45,00

Truta (peixe de água doce)

prato tradicional da região  cultivada em, águas cristalinas)

acompanhada de batatas de Macabu e molho de alecrim;

Prato Gourmet NAVE: Ervas de nossa horta orgânica – massa caseira come ervas

20140609_120034

Talharim/espagueti/integrais: Massa caseira comum com CAMARÃO, TOMATES CEREJAS, ESPINAFRE, AGRIÃO, SALSA, MOLHOS DE ERVAS, ALHO, LINHAÇA, MANJERICÃO, PALMITO.

 

 

LANCHES NAVE EXPRESSO

 Monte seu sanduíche personalizado e caseiro; ( 1 carne -1 queijo –  salada)

Pães:

Sal :                                                                                                             R$3,00

Pão Sírio:                                                                                                    R$ 4,00

Integral                                                                                                      R$ 5,00

Batata;                                                                                                       R$ 5,00

Recheios 3  ( 1 fibra animal – 1 salada – 1 queijo)

pode abrir mão de um recheio de carne para, colocar outro…:

(peito de frango – bife – porco caipira)

Empadinhas massa comum e integral: R$ 4,00

Kibe de peixe                                                     R$ 4,00

Recheios: 1 – Queijo  2 –  chocolate

Bolos Caseiros(fatia):        R$ 2,50

Milho – Aipim – Maracujá – Banana

 Abacaxi – limão – Tangerina;

Café R$ 1,00  – Leite Puro R$ 2,00 Café com Leite – R$ 2,00

BAR somente para, quem bebe socialmente!

20140605_151114

Ver no local somente para maiores de 21 anos;

Sucos naturais, guaraná natural;

Queijo prato – Carne Assada – Salada – Peito de Perú – Frango desfiado – Carne – queijo branco – Mussarela de búfalo – Atum – ricota – milho – ervilha natural – presunto.

Crepes:

Massa integral – Massa comum

Recheios:

Frango com catupiry – peito de peru –

Queijo(branco, Ricota ou Mussarela de búfalo e comum – Tomate com manjericão.

Tradicional brasileira: Preços de 10,00 a 25,00  – refeição individual.

Arroz – Feijão – Couve á Mineira –

Aipim Frito – Aipim Cozido – Ovo Frito

 Bife  de frango – Batata com molho de ervas

 Salada – purê de batata – Purê de abóbora

Purê de inhame – Ervilhas naturais  cozidas

 Carne de porco caipira assado – galinha caipira – Caldos – macarrão ao sugo – tutú.

Massa caseira de aipim Comum

Massa caseira de aipim Integral

PIZZAS:  Recheios

Marguerita:

(mussarela – tomate e manjericão);

Alho –  mussarela

Atum – mussarela

Presunto e Mussarela

Massas caseiras e Integrais

Durante sua estadia no NAVE, você escolhe o que comer e se quer aprender e quando sobre o que está comendo.  Sua vivência depende quase que completamente de seu modo de vida. A partir daí e de sua escolha em direção a uma vida mais saudável e que gere mais qualidade, seguimos juntos nesta jornada eco social.

Além de nosso café da manhã maravilhoso, nossas refeições são personalizadas, orgânicas e de procedência local.

Todo o resíduo gerado no espaço é reaproveitado e enviado para ser reciclado pela indústria, também comercializado para geração de renda para o projeto.

 A HISTÓRIA DA ALIMENTAÇÃO

Edição e pesquisa: Samantha Lêdo

O interesse científico na evolução das necessidades nutricionais humanas tem uma longa história. Investigações relevantes começaram a ganhar espaço a partir de 1985, quando S. Boyd Eaton e Melvin J. Konner, da Emory University, publicaram um artigo no New England Journal of Medicine intitulado “Nutrição Paleolítica”. Eles argumentam que a prevalência de muitas doenças crônicas nas sociedades modernas – entre elas obesidade, hipertensão, doenças coronarianas e diabetes – seriam o resultado de uma incompatibilidade entre padrões dietéticos modernos e o tipo de dieta que nossa espécie desenvolveu para se alimentar como caçadores-coletores pré-históricos.

Desde então, a compreensão da evolução das necessidades nutricionais humanas tem avançado consideravelmente – graças, em parte, às análises comparativas entre populações de humanos vivendo tradicionalmente e outros primatas -, emergindo daí um retrato com mais nuances. Sabemos, agora, que os humanos evoluíram não para subsistirem com uma dieta paleolítica única, mas para desfrutarem de um padrão alimentar diversificado.

Conseqüentemente, o que comemos é ainda uma outra forma pela qual nos diferenciamos de nosso parente primata. Populações de humanos contemporâneos pelo mundo afora, adotam dietas mais calóricas e nutritivas que aquelas de nossos primos, os grandes macacos. Então, quando e como os hábitos alimentares de nossos ancestrais divergiram dos hábitos de outros primatas? Além disso, quanto os humanos modernos se distanciaram do padrão alimentar ancestral?

Para se compreender o papel da alimentação na evolução humana, devemos nos lembrar de que a procura pelo alimento, seu consumo e, finalmente, como ele é usado para processos biológicos são, todos, aspectos críticos da ecologia de um organismo. A energia dinâmica entre organismos e seus ambientes, ou seja, a energia despendida comparada à energia adquirida, tem conseqüências adaptativas importantes para a sobrevivência e reprodução. Esses dois componentes da aptidão darwiniana refletem-se na forma como estimamos o estoque de energia de um animal. A energia de manutenção é o que mantém um animal vivo. A energia produtiva está associada à concepção e manutenção da prole para a próxima geração. Para mamíferos, isso deve cobrir as demandas das mães durante a gravidez e lactação.

O tipo de ambiente que uma criatura ocupa irá influenciar a distribuição de energia entre esses componentes, em que condições mais duras representam, obviamente, maiores dificuldades. No entanto, o objetivo de todos os organismos é o mesmo: assegurar a reprodução, visando garantir, a longo prazo, o sucesso das espécies. Portanto, ao observarmos a forma como os animais se deslocam para obter a energia alimentar, podemos compreender melhor como a seleção natural produz a mudança evolutiva.

Os benefícios e sabores de uma alimentação natural

 

Cada vez com mais adeptos, a alimentação natural deixou de ser uma moda exótica para ser incorporada por todos os tipos de públicos. A busca de produtos integrais virou uma verdadeira febre, que pode ser sentida, por exemplo, nas bancas do gênero no Mercado Público. Grãos e cereais integrais lideram esta busca de alimentos ricos em fibras, vitaminas, minerais e substâncias bioativas originais do alimento, além da vantagem de não conterem aditivos químicos. Eles colaboram na prevenção e no tratamento de diversas doenças crônicas causadas, em sua grande maioria, por uma alimentação errada.

 

Até os anos 70 a alimentação natural era tida como hábito de um público alternativo, também conhecido como naturalista e ecológico. Aos poucos, contudo, ela foi ganhando espaço e conquistando mais adeptos, ao mesmo tempo em que estudos científicos passaram a comprovar a sua eficácia e importância para a saúde humana.

 

Conhecendo alimentação natural integral

Entende-se alimento natural e integral aquele que é minimamente processado, o mais próximo de sua origem possível, sem aditivos químicos como corantes artificiais, conservantes, aromatizantes, entre outros. Ou seja, mantém praticamente intactas suas principais camadas, que por sua vez, têm funções específicas, tanto para o alimento, quanto para uma dieta equilibrada. No caso dos grãos naturais integrais por exemplo, eles preservam não apenas a camada interna onde estão os carboidratos, proteínas e alguns micronutrientes do grão, mas também o farelo e o gérmen, onde se concentram as vitaminas, minerais e outros nutrientes pouco encontrados nos produtos refinados. Isto faz com que a alimentação natural integral seja baseada em alimentos mais próximos de sua natureza, preservando o equilíbrio original dos nutrientes e das substâncias bioativas.

 

Efeitos e benefícios na saúde

 

Estudos recentes mostraram que os alimentos integrais podem favorecer, não apenas a perda de peso, que também acontece no caso de tratamentos com dietas hipocalóricas em geral, mas favorecem especificamente a perda de gordura na região abdominal. Importante lembrar que a gordura aí localizada é responsável pela produção de substâncias pró-inflamatórias, que aumentam o risco de problemas como o diabetes do tipo 2 e problemas cardiovasculares. Além desses efeitos, os alimentos naturais integrais também ajudam a tratar e prevenir:

hipertensão, obesidade, osteoporose, problemas respiratórios e alguns tipos de câncer.

 

Produtos

 

Não basta ser integral, tem que ter segurança alimentar

 

De algumas décadas para cá a procura por produtos integrais aumentou consideravelmente. E cada período tem o produto da vez, como o arroz integral, a aveia, a farinha de linhaça e recentemente a ração humana que despertou muito interesse e procura. Mas não basta apenas ser integral; é preciso verificar a sua procedência e processos manipulatórios para que o produto chegue ao consumidor final com todas as suas propriedades e benefícios intactos e seguros. Engenheiro de Alimentos, responsável técnico e um dos sócios da Bioprim, empresa de produtos naturais, Kelvin Hoffmannl, é categórico: “Fazer um produto necessita muito mais do que aparenta”. Antes muito ligados às sabedorias e crendices populares, hoje os produtos integrais teem as suas propriedades cada vez mais cientificamente comprovadas.

 

Para ele é preciso que os produtos comercializados estejam dentro das normas da legislação vigente de segurança alimentar, do início até a expedição para o mercado. Explica que é preciso fazer uma seleção dos fornecedores, o controle analítico e de recebimento dos produtos, da produção, da higiene pessoal, do controle das pragas. O seu sonho como engenheiro da área era o de levar saúde para as pessoas através dos alimentos. Por isto, quando encontrou as parcerias certas, abriu a Bioprim, empresa que procede completo rastreamento dos seus produtos, como os cuidados com a água, procedimentos, manejos dos resíduos e análises normais do produto acabado. Ou seja, não adianta comer linhaça, uma das atuais campeãs de preferência, se ela contiver agrotóxicos e microtoxinas cancerígenas, por exemplo. Para ele o consumidor final tem papel fundamental, verificando, principalmente a procedência do produto e todos os requisitos necessários. Estar bem embalado, isento de contaminantes, ter procedência de um produtor que possui boas práticas agrícolas, como controle de pragas, são alguns dos mais importantes.

 

Todo o cuidado no beneficiamento dos grãos

A matéria-prima, informa, vem principalmente do interior do estado e da região metropolitana. E grande parte de São Paulo e do exterior. O processo inclui a recepção dos grãos e sementes que são colhidos, limpos e ensacados. As empresas de beneficiamento, depois da compra realizam o processo da limpeza e classificação, para serem enviados aos consumidores finais. O importante neste ciclo é ter uma estocagem correta. Umidade, por exemplo, pode produzir microtoxinas nocivas, assim como fungos. Portanto, o local apropriado, com ventilação, é fundamental para a estocagem, segurança e qualidade final do produto. “Os grãos respiram. Se não tiver ventilação podem aquecer e fermentar. O grão passa por um refinamento, onde é classificado e limpo”, informa o engenheiro. Assim resulta num produto limpo e também com menos carga microbiológica.

Todos os produtos naturais como fibra de maracujá, fibra de trigo, aveia, linhaça, açúcar mascavo, levedo de cerveja, entre outros, devem ser elaborados com cuidado em todo o processo, do início ao fim, visando obter alimentos com ótimas características sensoriais de cor, aroma, gosto, atendendo os padrões de identidade e qualidade do produto e isento de contaminantes que possam fazer mal ao consumidor final.

 

Alimentação natural, vital para evitar doenças

Citando Marcio Bontempo, médico considerado o introdutor da medicina científica natural do Brasil, o engenheiro vê grandes problemas na maneira como a grande maioria das pessoas hoje se alimenta. “A gente não tem mais tempo nem para fazer uma alimentação correta, pela pressa. Acabam faltando vitaminas, minerais”, diz ele, afirmando que o refinamento acaba tirando fibras e vitaminas dos alimentos. Essa carência de nutrientes, segundo ele, provocam stress, doenças, depressão, insônia e obesidade. “A maioria das doenças tem relação com a má alimentação”, afirma, ao mesmo tempo em que recomenda uma dieta equilibrada, evitando-se produtos como salsichas, carne vermelha, café, açúcar branco, apimentados, defumados e industrializados em geral. Por outro lado, vê o mercado dos produtos naturais em expansão. E um aumento de conscientização sobre alimentação, fundamental “para se viver com felicidade e saúde”, finaliza.

 

Mais:

Em alta: gérmem de trigo, gergelim, aveia em flocos e cereais integrais

Novidades: farinhas de feijão branco, maracujá, banana e laranja

Carboidratos: comprovados no milho, linhaça e arroz

Proteínas: presentes nos feijões e leguminosas

 

Nutricionismo

 

Uma alimentação baseada em cereais

 

A nutricionista Rosângela Barcellos, professora no Senac Saúde do Passo de Areia nos fala aqui dos muitos benefícios e propriedades dos cereais. Fontes de carboidratos e energias são ricos em minerais e fibras, produzindo efeitos na saúde e evitando doenças. Além, claro de serem ótimos para a elegância.

 

A importância de uma dieta baseada equilibrada

Os cereais fazem parte de uma alimentação saudável e equilibrada. São importantes fontes de carboidratos e energia, contendo também, proteínas e vitaminas como: tiamina, riboflavina e niacina. Contém minerais (principalmente ferro), cálcio, zinco e selênio. Os integrais são fontes de fibras, colaborando para reduzir o peso corporal, trazendo uma sensação de saciedade e ajudando na ingestão de menor quantidade de outros alimentos. Reduzem os níveis de glicose e colesterol do sangue, melhorando o trânsito intestinal. Os alimentos fibrosos colaboram na prevenção da diabetes tipo II, retendo os açúcares e reduzindo as quantidades que o organismo iria absorver.

 

Os cereais que não podem faltar

Os cereais integrais: centeio, cevada, linho, gérmem de trigo, fibra do trigo, linhaça e a quinoa, sendo esta um importante cereal de origem boliviana rico em proteínas, não possuindo glúten e que pode ser adicionado em receitas salgadas.  No entanto, os cereais são deficientes em aminoácidos. Podemos compensar com a combinação de alimentos, a mistura do arroz e feijão, por exemplo, complementa-se com os aminoácidos lisina e metionina, resultando em uma mistura de melhor valor protéico. Sabemos que os mais consumidos pela população e sempre que possível estão presentes é o linho, arroz, farinha de trigo, aveia e centeio.

 

Consumo, quantidades e freqüência

Até 28% da nossa alimentação diária deveria ser voltado para a ingestão de cereais integrais, o equivalente a 20g entre outras fontes de fibras como frutas e hortaliças. No caso dos cereais integrais podem ser acrescentados à nossa alimentação como um complemento (cereais matinais, farelos em carnes como almôndegas), barras de cereais nos intervalos das refeições ou inseridos em muitos produtos como pães e biscoitos, também de origem integral.

 

Cuidados na compra

Se for lacrado, embalagens industrializadas, ler com atenção os rótulos, observar a validade, e informações nutricionais, dar a preferência para os cereais com menor quantidade de açúcar e sal. Quando comprados a granel, devem estar armazenado em local seco e arejado, sem receber luz solar, à temperatura ambiente, em cima de estrados sem ter contato direto com o chão e livres de insetos e roedores.

 

Relação dos cereais com a saúde e estética, efeitos

Sem dúvida são os cereais integrais os mais indicados, resultando em menor absorção de gorduras pelo organismo, nutrindo as células do corpo, revitalizando a pele e proporcionando uma sensação de bem estar e saúde. Porém, nenhum alimento sozinho tem a capacidade de emagrecer, mas pode ajudar de acordo com suas propriedades nutricionais.

 

CONSUMIDORES

 

De recomendação médica a resultados estéticos

 

Um dos segmentos que mais cresce, o mercado dos alimentos naturais ganha a cada dia mais adeptos. Muitos por recomendação médica, outros orientados por nutricionistas e muitos pela vaidade estética, buscando uma alimentação mais equilibrada para manter a silhueta. O fato é que as lojas e bancas de produtos naturais do Mercado estão sempre cheias. E a cada dia chega mais gente. Veja aqui alguns exemplos.

 

Leonardo Rodrigues, 21 anos: o uso como complemento alimentar

 

O jovem auxiliar do Ministério Público, desenvolve o hábito há um ano, o exato período em que está na academia. “Uso como complemento alimentar. Eu acho que contribui para melhoria de minhas atividades físicas, mas também pelo gosto”, diz.

Leonardo faz uso diário dos cereais, sendo um comprador assíduo dos produtos nas bancas do Mercado. Mas, confessa, também aproveita a ida ao Mercado para um chopinho no piso superior.

 

 

 

Ricardo Portela, 42 anos: Buscando melhorar o colesterol da filha

 

A filha do advogado Ricardo estava com problemas de colesterol. “Marquei uma nutricionista para ela, que recomendou o hábito de ingerir cereais. Foi mais por uma recomendação médica”, diz ele. E o resultado? “Tem ajudado sim, teve uma considerável perda de peso. Por questões de fibras, uma digestão melhor. Foi todo um estudo da nutricionista dela”. Hoje acha extremamente válido o consumo dos cereais. Ele próprio também está tentando adquirir o hábito, mas os horários irregulares da sua profissão não ajudam muito. “Não tem como carregar um potinho com cereal para fora, essas coisas. Mas acho muito importante o consumo de cereais”, conclui este admirador do Mercado, ao qual considera um cartão postal da cidade.

 

 

 

Elianda de Oliveira, 28 anos, indicação médica

 

Dona de casa, garante que suas crianças gostam de cereais. “É bom para eles, pois têm baixo peso, e o médico já indicou para comerem mais cereais, coisas que tenham mais vitaminas”, informa. Elianda costuma ir no Mercado duas vezes por mês e está muito satisfeita porque os filhos estão aumentando de peso e criando ritmo. “Eles já não são de muita comida, então dou um cereal, um café com leite, um pãozinho de manhã”. Ela também ressalta que os preços do Mercado são bem mais atrativos. “Vale a pena comprar aqui”, conclui.

 

 

 

Fotos: Fabrício Scalco e Gabriel Reis

 

DICA DE CONSUMO

 

Granola Crocante

 

Ingredientes

1 xícara de aveia em flocos; ¼ de xícara de centeio em flocos; ¼ de xícara de cevada em flocos; ¼ de xícara de trigo em flocos; ½ xícara de uma mistura feita com nozes, avelãs e castanhas picadas; 1 colher (sopa) de óleo de canola ou de milho; 4 colheres (sopa) de mel; ¼ de xícara de frutas desidratadas (ameixa, uva passa, damasco)

 

Modo de fazer

Misture todos os ingredientes (menos as frutas desidratadas), coloque numa assadeira e leve ao forno por 20 minutos. Mexa de vez em quando para não grudar no fundo. Depois que dourar, desligue e deixe esfriar. Coloque as frutas desidratadas e mexa bem.

 

*Pode ser acrescentado ao leite matinal ou em vitaminas de frutas e leite liquidificados.

11. Hidrate-se 
“Beba pelo menos dois litros, mais ou menos oito copos de água todos os dias. A água ajuda na hidratação da pele e é fundamental como meio de transporte de algumas vitaminas hidrossolúveis como a vitamina B1, B2, B6, B12 e a vitamina C. Além disso, a água é essencial para que o corpo fique disposto durante todo o dia.” (Rosana Farah, nutricionista e professora dos cursos de graduação em nutrição da Universidade Presbiteriana Mackenzie)

12.Ataque as frutas 

“Consuma entre três e cinco porções de frutas todos os dias. Laranjas, maçãs, peras, melancia, tangerina, entre outras, são as melhores fontes naturais de vitaminas, minerais e fibras. Esses três componentes auxiliam o bom funcionamento do nosso intestino e auxiliam o nosso metabolismo a continuar ativo mesmo nos intervalos entres as refeições.” (Rosana Farah, nutricionista e professora dos cursos de graduação em nutrição da Universidade Presbiteriana Mackenzie) 

13. Deixe o açúcar de lado
“Alimentos que têm uma grande quantidade de açúcar refinado são dotados de processos químicos na sua produção e possuem altíssimo índice de glicose, que aumentam os índices de glicemia do corpo. Essas características, aceleram o envelhecimento, aumentam flacidez por desestruturar o colágeno da pele e ainda possuem calorias, porém são desprovidos de nutrientes. Hoje em dia encontramos adoçantes naturais como a sucralose, derivada da cana de açúcar, porém sem calorias e sem alto índice glicêmico e a stevia, derivado de uma planta natural.” (Daniela Jobst, nutricionista da Clínica NutriJobst) 

14. Consumir alimentos fontes de antioxidantes

“As substâncias antioxidantes bloqueiam a ação dos radicais livres no organismo, prevenindo a oxidação das células. Esses elementos são capazes de prevenir o aparecimento de tumores, o envelhecimento precoce e outras doenças. Alimentos com cores fortes, como tomate, goiaba, romã, cenoura, abóbora, manga, açaí, berinjela, uva, folhas verdes, legumes e brócolis, são ricos em antioxidantes.” (Daniela Jobst, nutricionista da Clínica NutriJobst)

15.Saiba o que você está comendo 
“O essencial é entender que as calorias são o combustível para o nosso organismo e que, sem elas, o nosso corpo fica sem energia. Escolher os alimentos só pelo número de calorias não é o mais indicado. Muitas vezes as calorias não são os principais perigos dos alimentos. O que na verdade faz toda a diferença na hora de uma alimentação saudável é a qualidade de nutrientes. A quantidade de gorduras, por exemplo. Por isso é importante ler os componentes de cada alimento.” (Camila Leonel, nutricionista e Especialista em Adolescência Universidade Federal de São Paulo) 

16.Saiba combinar os alimentos
“O segredo da boa alimentação está em combinar todos os tipos de nutrientes como carboidratos, proteínas, gorduras, minerais, vitaminas, fibras e água. A regra geral é que não há um tipo de alimento que deva deixar completamente a sua dieta, mas sim quantidades de nutrientes que devem ser controladas. Tudo é uma questão de variar o cardápio, não deixar de fora nenhum tipo de alimento e sempre comer em pequenas porções ou quantidades.” (Camila Leonel, nutricionista e Especialista em Adolescência Universidade Federal de São Paulo) 

Anúncios